REDE LIVRARIA

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

CURAI OS ENFERMOS

E curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: É chegado a vós o reino de Deus. Lucas 10:9.

Nesta passagem o verbo curar se apresenta na sua forma imperativa. Isto é uma ordem! Não é simplesmente a missão de um Pastor, Bispo, ou Apóstolo, mas é a missão de cada membro da igreja. A cura de enfermidades e a operação de maravilhas fazem parte da pregação do evangelho.

Cada crente foi comissionado para a tarefa de pregar a toda à criatura (Marcos 16:15), portanto nós também recebemos a autoridade para curar as enfermidades e expulsar demônios. Isso não foi uma unção especial dada apenas a alguns, esta unção foi dada a todos os que crêem. A seara é enorme e cada crente deve se sentir como um ceifeiro, pois há muito trabalho a ser feito, e não é obra do trabalho de um homem só.

No princípio a tarefa de anunciar o reino de Deus era realizada por várias duplas de crentes, eles eram enviados dois a dois, a cidades e lugares aonde Jesus havia de ir (Lucas 10:1). Naquele tempo, Jesus chamou 70 discípulos, e os enviou em duplas, se cada dupla cobriu pelo menos uma cidade, então estes discípulos cobriram pelo menos 35 cidades, quer dizer que cada dupla cobriu pelo menos uma cidade, ou um vilarejo.

E hoje quantas cidades nós visitamos? Quantos hospitais? Quantas escolas? Quantos enfermos esperam por nós? Quantos esperam que oremos por eles? Se comparar verá que ficamos devendo muito aos primeiros cristãos, por exemplo: numa igreja com 100 membros, mais ou menos 10 se engajam na obra evangelizadora, e só saímos para o campo se tiver todo o recurso financeiro e tecnológico disponível, não devia ser assim. Os apaixonados por missões saem para o campo pela fé, quer tenham recursos, ou não.

Faça a sua parte: Saia em dupla, homem com homem, mulher com mulher, marido e esposa, visitem os enfermos, preguem a palavra, orem para Jesus curar. Não prometam a cura, como se o poder pertencesse a vocês, mas com ousadia utilizem o nome de Jesus ordenando as enfermidades que saiam, pois o nome de Jesus é autoridade. A parte do discípulo é pedir e crer, a do enfermo é crer, e a de Deus é fazer se estiver de acordo com a sua soberana vontade.

Não vemos mais milagres porque nós os que podemos utilizar a autoridade do nome de Jesus, não a usamos mais (Marcos 16:14), muitas das vezes recuamos com receio de não vermos atendidas as nossas orações. Não devia ser assim, pois Deus não reparte a sua glória com ninguém (Isaías 42:8).

Se você esta na incredulidade, não fique aí prostrado, pois tem muita gente precisando da sua ajuda, e quem tem a palavra é você crente, dê um salto e convide um irmão e saiam anunciando a Jesus Cristo Ressuscitado, um ministra a palavra, e o outro fica vigiando em espírito de oração.

Quando alguém for curado, ou demônios forem expulsos, não terá sido pela virtude de vocês, mas pela autoridade do nome de Jesus, a quem Deus deu toda a glória (João 8:54; 13:31,32 e Atos 3:13). Não aceitem aplausos, orem por aqueles que crerem, e os encaminhem para uma igreja mais próxima, onde serão discipulados, saibam entrar na hora certa, e sair da cena no momento oportuno, e em vocês o nome do Senhor será glorificado.

Não busque glória nem fama para si próprio, antes dê a glória devida a Deus!

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

VENCENDO A TIMIDEZ

Padecer a necessidade por algo que poderíamos ter feito e não fizemos, é no mínimo frustrante, e não ter coragem para escolher é decepcionante, nós evangélicos em geral somos muito proativos nas muitas questões da fé, mas sempre tem alguma questão que desafia a nossa crença e certeza. Quando não consultamos a Deus em oração antes de um decisão corremos o risco de errar fazendo escolhas arriscadas, ou de padecer a necessidade por medo de arriscar. Temos o poder da decisão dado por Deus, mas apesar de podermos decidir por nós mesmos, a melhor decisão sempre será buscar respostas no Senhor em oração.

O principal recurso de um crente é a oração, sem ela nos sentimos desprotegidos, pois o nosso Deus é refúgio, fortaleza e socorro. Admiro em parte a fé dos neo-pentecostais que sendo deterministas crêem no Deus da vitória, contudo não concordo com a maneira escandalosa como eles colocam Deus no canto da parede, como se a vontade do Senhor ficasse sujeita a nossa vontade, isso é ridículo. Admiro totalmente a fé dos novos convertidos, que em quaisquer circunstâncias crêem na vitória, é linda a fé dos neófitos, eles parecem saber que sempre o Senhor fará o melhor por eles, é por isso que os vejo clamar e falar com tanta paixão. Mas um dia vem "alguém” e nos rouba a capacidade de crer incondicionalmente no poder de Deus, conforme a “fé infantil” que tínhamos. Dizem: “Quando pedir tenha cuidado de saber se o que esta pedindo é da vontade do Senhor”, e não percebem que estão nos ensinando sutilmente que tem coisas que não devemos ousar pedir em oração. Só não nos disseram o que fazer com a nossa necessidade, e o pior é que agora ela passa a ser colocada diante de Deus com dúvidas, se isso ou aquilo é da vontade do Senhor.
É lógico que tem coisas que são contrárias a vontade do Senhor, nós as conhecemos pois transgridem as suas leis, são por exemplo deleites pecaminosos, que são facilmente reconhecidos pela sua Palavra, não digo que alguém peça tais coisas, pois estaria pedindo algo contrário a vontade conhecida do Senhor.
Referiro-me a tomadas de decisões por exemplo: A escolha da carreira profissional; a escolha do solteiro que busca casar-se; a aquisição de um bem móvel ou imóvel; a mudança de emprego, etc.
Mas se vamos orar por um enfermo, não devemos ficar conjecturando se é da vontade do Senhor curar. A menos que Deus tenha revelado para não orar. Deus pode proibir você de orar por uma determinada causa, mas se Ele não proibiu não precisamos temer rogar-lhe pela cura de alguém.

ex. 1) E aí passamos orar: Senhor se for da tua vontade “me abençoa”. Ou ainda: "será da tua vontade me abençoar com o que estou te pedindo?"

ex. 2) Deveríamos orar dizendo: Senhor, rogo-te, pois preciso “dessa benção”, mas como a minha visão é limitada, revela-me a tua vontade, ou faça-se a tua vontade.

A diferença é sutil, mas existe. No ex. 1) estamos pedindo duvidando. No ex. 2) pedimos crendo que o Senhor fará muito mais do que pedimos, ou pensamos.

Tem irmãos que já vão orar derrotados, pois acham que poderão incorrer nalgum erro se pedirem algo fora da vontade de Deus, oram sem a certeza de que serão atendidos, ficam avançando e recuando por isso não recebem (Tiago 1:6-8). Se pedimos duvidando, ou é porque a nossa fé é débil, ou é um pedido claramente contrário a sua vontade revelada na Palavra.

Conhecer a vontade de Deus não é algo simples, quem conheceu a mente do Senhor? Ou a sua profundidade? Ou a sua altura? Ninguém conhece toda a ciência de Deus, mas somente em parte a conhecemos, e a parte que nos foi revelada, e tem coisas que por mais que perguntemos ao Senhor ele permanecerá calado, nos responde com o seu silêncio, como um Pai que responde num olhar: tu ainda tens dúvidas? Então o que é simples? Simples é pedir com fé, ou seja, pedir com “A CERTEZA” de que Ele nos atenderá. Você precisa ir além do conhecimento de que Deus tem todo o poder, até chegar ao ponto de acreditar que o seu poder se manifestará de modo particular em benefício da sua vida.

Quando oramos precisamos ser sinceros com Deus, de que adianta falar: “Senhor faça a tua vontade, e no fundo do coração desejar outra coisa?” Será que poderemos esconder as nossas vontades daquele que esquadrinha os corações? Ser sincero é abrir o jogo com Deus, abrir o coração totalmente sem falsidades, revelando as nossas vontades: “Senhor o que eu quero exatamente é "isso" ou "aquilo". E depois se submeter à vontade Dele”.

O Senhor Jesus abriu o seu coração antes de ser preso no jardim do getsêmani, e falou com Deus em sinceridade, Ele sentiu tudo o que nós sentimos em momentos difíceis, e naqueles momentos de angustias, e ânsias de morte, Ele orou dizendo: Pai se possível for passa de mim este cálice, contudo faça-se a tua vontade (Mateus 26: 39; Marcos 14: 36; Lucas 22: 42). Jesus jamais recuou, o cálice do qual falava não era a cruz, mas sim as angustias e as ânsias que como homem estava sentindo naquele momento, precisava de forças, pois queria ir até o fim, a angustia não o impediu de abrir o coração, revelando a sua necessidade ao Pai. Devemos sempre ser sinceros com Deus e pedir forças nas horas difíceis. A oração de Jesus foi respondida imediatamente, pois logo em seguida Ele é revestido de uma capacidade que o leva a declarar que se submete a vontade do Pai, seja ela qual for. Abro um parêntesis para dizer: (Deus atendeu aquele pedido imediatamente enviando um anjo para fortalecer ao seu filho, a fim de que Ele pudesse completar sua missão) Lucas 22: 43-46.

Tem crente que vem para a igreja precisando de uma benção, e não pede porque não tem certeza da vontade de Deus, termina o culto e ele volta para casa inquieto com suas necessidades. Outros oram “Senhor faça a tua vontade”, mas não fala qual é a vontade deles, e estes também voltam inquietos e preocupados para suas casas. A palavra de Deus nos ensina que todas as nossas necessidades, das mais simples as mais urgentes, devem ser conhecidas diante de Deus, através da oração e das súplicas, com ação de graças, ou seja, peça a Deus exatamente o que precisa, e se for urgente grite por sua ajuda, e conclua a oração agradecendo antecipadamente pela vitória, e o Senhor promete para aqueles que oram assim: Lhes darei a minha paz, e guardarei os seus corações e os seus sentimentos no meu filho Jesus Cristo (Filipenses 4: 6, 7). Não saia da casa do Senhor levando qualquer preocupação, peça a Deus com certeza, e ele fará muito mais por você (1ª Pedro 5: 7).

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

ENQUETE SENADO FEDERAL LEI DA HOMOFOBIA

PARTICIPE DA ENQUETE DO SENADO FEDERAL

OS SENADORES QUEREM SABER:
Você é favorável à aprovação do PLC 122/2006
que torna crime o preconceito contra homossexuais?

 
Use o link abaixo para participar:
 
A pesquisa vai ficar disponível durante todo mês de novembro.

EU VOTO NÃO!

Opinião do Blogueiro: O texto "Torna crime o preconceito contra os homossexuais" tem um aspecto muito subjetivo na sua exegese. Ele rotula como preconceito a crítica aberta e franca à opção opção homossexual. Que não querem ser criticados. Um pai pode ser acusado de homofóbico se ensinar aos filhos que a opção homossexual é contra os princípios bíblicos. Um pastor pode ir para a cadeia se ensinar o que está escrito, por exemplo, na Carta de Paulo aos Romanos. Como a causa homossexual não é considerada religião, em outros países, como por exemplo no Chile, são impressos manuais de homossexualismo para distribuir nas Escolas Públicas com o aval do Ministério da Educação.

Na Suécia, onde tal lei foi aprovada, os pastores das Igrejas evangélicas foram constrangidos por medo a modificar a Liturgia dos cultos. Vão ser obrigados, inclusive, a realizar cerimônicas de "casamento" gays.

Isso fere o direito evangélico de culto, pois temos a Bíblia Sagrada como regra de fé e prática. Os evangélicos desta nação não ensinam o ódio a gays dentro da Igreja. Os crentes não matam gays. Se esta lei passar com a redação do substitutivo atual, vai cercear nosso direito de crítica e expressão de opinião.

E por fim, criminalizar alguém por criticar e discordar da opção sexual de alguém é um campo perigoso. Além de hétero e homo tem muitas outras opções inclusive a pedofilia.

É por isso que eu sou contra. Este projeto de lei, no fundo, vai é institucionalizar o preconceito e a discriminação contra os evangélicos e seus pastores. Para mim isto é um cala-boca. Uma mordaça sob o amparo de uma lei incostitucional.

Clique no LINK abaixo e participe:
EU VOTO NÃO!

Texto extraído do Blog Olhar Cristão.
Autor: João Cruzue
Para ver o texto na integra clique no link abaixo:

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

QUANDO DEUS NÃO NOS REPROVA

Quantas, e quantas vezes você já se decepcionou consigo mesmo? Talvez muitas, e muitas vezes. Ora quem nunca se decepcionou a si mesmo? Quem nunca atribuiu a causa das derrotas às próprias limitações? Se as decepções são muitas em se tratando dos projetos e sonhos falíveis, imagine então como deve ser a decepção daquele que procurando servir a Deus com sinceridade, falha, e percebe que não é perfeito.

A decepção acompanha a derrota, e os que se entregam a ela vêem suas vidas, pouco a pouco, se tornar numa triste história, uma história na qual alimentar qualquer esperança parece ser um luxo, um luxo para quem se tornou indigno. A vergonha e a tristeza são as companheiras que sugam as últimas forças daqueles que continuam a buscar ao Senhor, pois o receio de serem reprovados é tão insuportável, que a primeira reação que têm é de fugir da sua presença, pois temem ser envergonhados publicamente.

Pedro, discípulo de Jesus Cristo, um simples homem, um homem que apesar do desejo intenso de servir a Deus, de adorá-lo, de fazer o que lhe é agradável, também foi um homem muito falho, pecador, e consciente das próprias limitações, estas o levavam a acreditar que não era digno de estar na presença do Senhor.


O discípulo Pedro viveu uma situação semelhante, ele amava estar na presença de Jesus, queria ser perfeito, queria agradá-lo, mas como homem não podia suportar seus próprios erros e pecados, em Lucas 5: 1-11 encontramos a narrativa da pesca maravilhosa, na qual Jesus abençoou os discípulos que passaram a noite toda sem nada pescar, a benção foi tão grande que as suas redes quase se rasgaram cheias de peixes. Quando Pedro viu o resultado daquela pesca se ajoelhou diante de Jesus confessando seus pecados. Sempre que queremos ser perfeitos e andar na presença do Senhor, parece acontecer algo para nos decepcionar, isso acontece por causa das nossas falhas, e pecados, e com eles vêm à revolta contra o pecado, contra o inimigo, parece até que vamos resolver a situação batendo de pau e pedra no Diabo e na carne responsáveis pelas nossas tentações, como se pudéssemos enfrentá-los dessa maneira, e por fim nos magoamos com nós mesmos.

Mas o nosso Deus é muito mais do que podemos imaginar, ele nos abençoa porque é bom, é o seu prazer abençoar o seu povo, mesmo com aqueles “indignos” usa de benignidade, de bondade, e de misericórdia, mesmo com pessoas que não tem nada para lhe oferecer.

Jesus diz para Pedro e para todo aquele que arrependido lhe confessa os pecados: “Não temas”. Não tenha medo, eu sou o teu Salvador, eu te livro dos teus pecados, te livro da acusação, pois sou teu Advogado, te livro da culpa, pois ofereci a mim mesmo para reparação dos erros, não tenha medo de vir a minha casa, não fuja da minha presença, sou teu amigo e não te reprovo, pois paguei o preço do teu resgate com o meu próprio sangue.

Vou falar sobre como te vejo, olhando para você vejo o sangue do meu filho, o sangue que te liberta do poder do pecado, eu estou te moldando a minha própria imagem e semelhança, é por isso que olhando para você, não vejo como tu és, mas vejo como hei de fazer, foi por isso que eu prometi fazer de ti um pescador de homens, porque é assim que eu já te vejo, prometi para saibas que eu sou o teu Deus e a tua esperança, e que são fieis as minhas promessas, prometi para te ajudar a crer para que vivas pela fé em mim, tudo isso eu fiz porque te amo.

Se você tinha perdido a esperança, saibas que Deus não te reprova, e se hoje creres descansarás no Senhor, e verás que ele fará não conforme o modelo que vês, mas como o modelo que ele vê.

E, vendo isso Simão Pedro, prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor ausenta-te de mim, por que sou um homem pecador... E disse Jesus a Simão: Não temas, de agora em diante, serás pescador de homens. Lucas 5: 8; 10b.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

A ORAÇÃO

A oração tem ação poderosa
Que dá vida do crente leal
Dá poder pra vencer o inimigo
Dá poder pra milagre operar
Tem ação da mais forte alavanca
Também pode os montes transportar
Dá poder para falar ao mundo
Do amor de Jesus pra salvar

A oração
Foi a chave com que Daniel
Cada dia botava em ação
E assim foi achado fiel

A oração
Ao descer para a cova levou
E da boca os famintos leões
Com o poder dessa chave fechou.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

A TRADUÇÃO DA BÍBLIA


A Tradução da Bíblia - Pessoas e Línguas

60% das línguas do mundo não têm nenhum texto da Bíblia traduzido, as pessoas que falam estas línguas correspondem a 2% da população mundial, pode parecer pouco, mas representa mais ou menos 124.000.000 (cento e vinte e quatro milhões de pessoas) que não têm nada da Bíblia traduzida para as suas línguas. Ainda há muito o que fazer, oremos e nos disponibilizemos para que através dos nossos talentos a palavra de Deus escrita possa chegar a todas as línguas.

Um problema que os Missionários têm de resolver é o analfabetismo, que existe numa grande maioria dos povos não alcançados, a igreja entra neste contexto apresentando homens e mulheres que se dediquem primeiramente a falar essas línguas, a fim de poderem pregar a palavra, e depois na alfabetização destas pessoas para que elas também possam ler a Bíblia em sua própria língua.

A leitura e a divulgação da Bíblia não é permitida na maioria destes povos, mesmo que haja tradução. Também é proibida a pregação da palavra de Deus, aqueles que se atrevem a pregar e ensinar são perseguidos, presos e mortos, a igreja perserguida existe e precisa da nossa ajuda enviando mais e mais  Recursos e Missionários.

Missões esta no Coração de Deus, esta também no Coração da Igreja, por isso Ore e Contribua com os seus Dízimos e Ofertas.

"Passa à Macedônia, e ajuda-nos" Atos 16:9b.

OS DESAFIOS DA OBRA MISSIONÁRIA

A Tradução da Bíblia e os Povos não alcançados

Os maiores desafios da obra missionária: Traduzir a Bíblia e Chegar até aos Povos Não Alcançados. A Igreja foi Comissionada por Jesus para a obra de pregar, ensinar e fazer discípulos em todas as nações, para tanto Ele a revestiu com o seu Espírito Santo que os impulsiona. Missões dependem das nossas Orações e das nossas Contribuições, para que mais e mais Missionários sejam enviados.
A tradução da Bíblia ainda é um trabalho inacabado com um campo de oportunidades muito grande, oremos para que homens e mulheres dispostos sejam despertados a semear nesta área.

OS RECURSOS PARA MISSÕES

Gráfico – Os Recursos para Missões (Como gastamos nossa verba missionária)

Apesar da grande necessidade dos mundos “A” (o mundo não evangelizado), e “B” (mundo não cristão porém evangelizado), investimos muito pouco no mundo “A” e quase 90% é direcionado para o mundo cristão (mundo “C”).

OS MISSIONÁRIOS E OS TRÊS MUNDOS


Gráfico – Missionários e os Três Mundos (Para onde enviamos nossos missionários)

Apesar da grande necessidade dos mundos “A” (o mundo não evangelizado), e “B” (mundo não cristão porém evangelizado), o grande contingente de missionários que enviamos se concentra no mundo “C” (mundo cristão).

A BÍBLIA E A POPULAÇÃO DO MUNDO

A Bíblia e os 11.881 Povos do Mundo - População

Apesar de 41% dos povos do mundo não possuirem nada da Bíblia traduzida para sua língua (gráfico anterior), eles constituem somente 6% da população do mundo. A maioria das línguas que necessitam de tradução é falada por um pequeno número de pessoas, mas isso não significa que elas sejam menos importantes para Deus e a salvação delas não faça parte de nossa tarefa de evangelização.

A BÍBLIA E O NÚMERO DE POVOS DO MUNDO

A Bíblia e os 11.881 Povos do Mundo - Povos

Esse gráfico revela alguns fatores a respeito da disponibilidade das Escrituras.   O ponto mais importante desse gráfico é saber que 41% dos quase 12.000 povos do mundo não possuem nada da Bíblia traduzida para sua língua. Para as definições dos mundos "A", "B" e "C" veja os gráficos a Tarefa Inacabada.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

A TAREFA INACABADA - POVOS

A TAREFA INACABADA - POVOS

Existem no mundo quase 12.000 povos etno-lingüísticos: agrupamentos de indivíduos que têm entre si uma afinidade comum porque possuem a mesma etnia, língua ou religião.
Cada país possue vários povos etno-lingüísticos diferentes. Alguns exemplos: na China são 160 povos etno-lingüísticos, na Indonésia 702, no Brasil 257.
Se dividirmos o mundo em 3: mundo “A” = não evangelizado; mundo “B” = não cristão, porém evangelizado e mundo “C”, mundo cristão, incluindo os nominais (que se dizem cristãos, mas não evidenciam um compromisso sério com Cristo), podemos inserir um número de povos em cada mundo, tendo sempre como base, a maioria de pessoas pertencentes a esse povo.

Mundo “A” = 3.915 (significa que há 3.915 povos no mundo que ainda não ouviram o Evangelho, ou seja a maioria das pessoas de cada um desses povos não ouviu falar de Jesus Cristo).
Mundo “B” = 2.546 (significa que 2.546 povos foram de alguma forma evangelizados, só que a maioria das pessoas de cada um desses povos não aceitou, ou rejeitou o Evangelho).
Mundo “C” = 5.413 (isto é, 5.413 povos se dizem cristãos, pelo menos nominalmente, significando que a maioria das pessoas pertencentes a cada um desses povos se diz cristã).

A TAREFA INACABADA - POPULAÇÃO

Gráfico – A Tarefa Inacabada – População

Podemos dividir os 6,2 bilhões de pessoas no mundo em 3 partes: mundos A, B e C. O mundo “C”, que representa 33% do total de pessoas, contém aqueles que se consideram cristãos. Ao mundo “B” pertencem aqueles que já ouviram o Evangelho mas o rejeitaram. E o mundo “A” são aqueles que ainda não ouviram o Evangelho de forma compreensível, isto significa que hoje mais de um bilhão de pessoas nunca ouviram ou conseguiram entender a mensagem de Deus e Seu grande amor através de Jesus Cristo.

AS RELIGIÕES DO MUNDO

Gráfico - As Principais Religiões do Mundo

Um terço do mundo se denomina cristão. Aqueles que se consideram evangélicos são 11% da população mundial e o restante (22%) são católicos romanos, ortodoxos e outras religiões ditas cristãs (incluindo mormonismo, testemunhas de Jeová e outras seitas).
A segunda maior religião do mundo, é o islamismo que tem crescido muito ultimamente. De cada 5 pessoas no mundo, uma é muçulmana.
Os hindus (14% da população) se encontram principalmente na Índia e adoram milhares de deuses.
Os budistas (seguidores do Gautama Buda) se concentram principalmente na Tailândia, Cambodja, Vietnã e Japão, e são 12% do total da população do mundo.
Os animistas são aqueles que seguem as crenças indígenas ou tribais. Acreditam na existência de um mundo sobrenatural e em sua interação com o mundo natural. A pajelança existe principalmente para fazer a mediação entre um mundo e outro. Acreditam também que tudo tem vida, as árvores, as pedras, as águas, etc.
A religião dos sikhs surgiu como alternativa para o islamismo e o hinduismo. Existe somente um deus e um livro santo (o Guru Granth). Algumas práticas: não cortar o cabelo nem barba, utilizar um pente para mantê-los penteados, usar um bracelete de metal, um punhal e uma roupa de baixo que vá até os joelhos. Tem um templo dourado na Índia que serve como símbolo da religião.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Brasil 07 de Setembro Jesus Cristo Venceu o Pecado

07 de Setembro Brasil Jesus Cristo te Liberta

No dia 07 de Setembro foi proclamada a independência do Brasil, porém ainda hoje o Brasil luta para se tornar livre dos seus tutores, algozes e cruéis.

Jesus Cristo no calvário nos deu completa liberdade dos nossos pecados e delitos, através do seu Sangue Remidor. Neste dia 07 receba também o grito de independência, não de homem, mas do filho de Deus, que diz: "Esta Consumado", a obra da Salvação esta pronta, e é de graça para todo aquele que crer.

Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz (Colossenses 2:14).

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

SEM AMOR...


Pessoas padecem em diversas partes do mundo pela falta de gêneros alimentícios, e pela falta do conhecimento de Deus, saciá-las é verdadeiramente a obra prima do amor. Um amor que demonstra com a ação e a pregação daqueles que conhecem a Deus.

Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé, e não tiver as obras? Porventura a fé pode salvá-lo? E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento cotidiano, E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. (Tiago 2: 15,17).

Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão se não há quem pregue? E como pregarão se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos os pés dos que anunciam o evangelho de paz; dos que trazem alegres novas de boas coisas. (Romanos 10: 14,15).

A inteligência sem amor, te faz perveso.
A justiça sem amor, te faz implacável.
A diplomacia sem amor, te faz hipócrita.
O êxito sem amor, te faz arrogante.
A riqueza sem amor, te faz avaro.
A docilidade sem amor, te faz servil.
A pobreza sem amor, te faz orgulhoso.
A beleza sem amor, te faz ridículo.
A autoridade sem amor, te faz tirano.
O trabalho sem amor, te faz escravo.
A simplicidade sem amor, te deprecia.
A oração sem amor, te faz introvertido.
A lei sem amor, te escraviza.
A politica sem amor, te deixa egoista.
A fé sem amor, te deixa fanático.
A cruz sem amor, se converte em tortura.
A vida sem amor... não tem sentido...
(Autor Desconhecido).

"Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos. Quem não ama a seu irmão permanece na morte." (1ª João 3: 14).


"Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu como pode amar a Deus, a quem não viu?" (1ª João 4: 20).

"Amado, não sigas o mal, mas o bem. Quem faz o bem é de Deus; mas quem faz o mal não tem visto a Deus." (3ª João 1: 11).

sábado, 15 de agosto de 2009

CRESCER NA GRAÇA


Antes crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo. 2ª Pedro 3:18a.

Qual é o objetivo do crescimento espiritual? Efésios 4.12-15.
* Para sermos aperfeiçoados, ou seja, amadurecidos;
* Para chegar à unidade da fé, ou seja, a um único entendimento;
* Para não sermos enganados por quaisquer ventos de doutrina;
* Para que pelo amor possamos crescer em tudo.

O que é a graça de Deus? Efésios 2:8-10.
* É um dom Deus, ou seja, é uma dádiva concedida por Deus aos homens de graça;
Como nós entramos na graça? Romanos 5: 1, 2.
* Pela fé.

Algumas maneiras de crescer na graça:
* Através da benignidade e da fidelidade, Provérbios 3: 3, 4;
* Através da humildade e mansidão, Tiago 4.6, Provérbios 3:34;
* Através da oração, 1ª Pedro 5: 6, 7; Hebreus 4: 15,16; 2ª Coríntios 12: 7-9.

Cair na graça e cair da graça são a mesma coisa? É evidente que não.
* Cair na graça é o mesmo que achar graça, Atos 2. 46, 47;
* Cair da graça é o mesmo que deixar a fé, Gálatas 2:21 e Gálatas 5. 4.

O que significa a expressão “achou graça diante dos olhos do Senhor? Ou do Rei? Ou dos homens? Achar graça é o mesmo que dizer que nos tornamos agradáveis aos olhos de outra pessoa.

domingo, 19 de julho de 2009

UMA PROMESSA PARA CAIM


Uma promessa para Caim:“Se bem fizeres, não haverá aceitação para ti?” (Gênesis 4.7a).

Deus não recusará a boa oferta de maneira nenhuma, nem mesmo que isso desagrade a alguém, afinal poderíamos pensar “que era só não ter aceitado nenhuma das duas ofertas, e então não haveria o problema”, se Deus fizesse assim não teria sido justo, e teria perdido a ambos, mas aceitando a boa oferta de Abel, imediatamente procurou corrigir a má oferta de Caim, para que esse mudasse de atitude, e também pudesse ser aceito.


Caim dava demonstração de que o desânimo tomara conta de si, e cabisbaixo foi deixando a ira e o ciúme corroer o seu coração, diante daquela situação, o Senhor amorosamente procurou ajudá-lo, fazendo-lhe a seguinte promessa: “se fizeres bem serás aceito”. Repare no "Se" de Deus, ele condiciona a promessa a uma atitute humana de querer refazer, para fazer melhor, não há espaço para desistências. Ora se pessoas mal sucedidas na vida voltassem a tentar, certamente nós teríamos mais vencedores. É normal que a derrota nos leve a cair em desânimo, sendo necessário encontrar alguém que nos ajude a levantar a moral como um bom amigo ou pai faria, Deus falou dessa maneira com Caim encorajando-o a fazer a oferta novamente. Querido leitor você precisa acreditar que as derrotas de hoje não necessariamente implicarão em novos fracassos amanhã, o amanhã trará novas oportunidades, novas batalhas serão travadas, e vitórias ainda melhores poderão superar outras já passadas. Deus estava dizendo a Caim que tentasse de novo, mas, dessa vez da maneira correta. Você fez algo para o Senhor, e acredita que não foi aceito? Não fique triste, nem desanimado, o Senhor te diz: “filho tente de novo da maneira correta”.


A inveja e o ciúme foram os principais sentimentos que permearam o coração de Caim, ele teve ciúmes de Deus e de seu irmão, ou seja, confundiu seu coração achando que Deus teria preferência por Abel, como se Deus preferisse alguém em detrimento do outro, isso é totalmente contrário a natureza de Deus, pois a sua palavra garante que ele não faz acepção de pessoas (Atos 10.34). Então o que faltou no sacrifício de Caim? É o que nos propomos a investigar... A resposta para essa pergunta estará em outra pergunta:


Conforme a declaração de Deus, o que é "o fazer bem?"


O sacrifício de Abel foi oferecido por fé, por isso nós vemos que a fé dá ao confiante adorador o título de justificado, as obras ofertadas são apenas as demonstrações da fé daqueles que adoram, pois o que estará sendo avaliado por Deus não será o sacrifício, mas a intenção do coração. Somente aquele que sonda os corações conhece se a nossa oferta é de gratidão, ou seja, fé em Deus que nos dá o que não podemos pagar. E somente Ele saberá se o nosso coração estará acreditando de maneira incorreta que Deus nos dá o seu favor, em troca de todos os serviços que prestamos para ele, ou seja, fé nas obras. (Hebreus 11.4).
É por isso que o sacrifício de Abel simboliza “o sacrifício vivo do cordeiro de Deus” para remissão dos pecados daqueles que crêem (João 1.29 e Hebreus 12.1), este é o sacrifício perfeito para aqueles que põem a confiança no Senhor. Já o sacrifício de Caim simboliza o esforço de todos aqueles que confiam nas suas próprias “obras mortas”, o esforço daqueles que põem a confiança nos seus próprios serviços.
Fazer bem é fazer com fé, uma fé grata pela graça alcançada, sabemos que nossa oferta não paga o benefício de Deus, mas mesmo assim a oferecemos agradecidos pela sua bondade.


A pior coisa que pode ocorrer a um ministro do evangelho é a inveja do ministério de outro, esse foi o caminho de Caim (Judas 1.11). Amado irmão se você esta passando por essa conflitante situação, mude imediatamente de atitude e de ânimo, comece orando para que o Senhor abençoe ainda mais o ministério do teu irmão, não faça como Caim que fingia amar a Abel, a inveja dele matou seu próprio irmão, e por que o matou? Porque as suas obras eram más, e as de Abel eram justas (1ª João 3.11,12).


Deus promete abençoar, porque o seu desejo é abençoar, mas, acaso o homem não queira ouvir a promessa de amor, então talvez ouça a palavra da advertência, antes que seja tarde demais: “E, se não fizeres bem, o pecado jaz a porta, e para ti será o seu desejo, e sobre ele dominarás” (Gênesis 4.7b).


Caim ignorou a voz de Deus, não quis atentar nem para a promessa nem para a advertência, ele deixou a inveja destruir e roubar coisas que não tem preço, como a amizade e a presença do seu irmão, e quase que aquele espírito maligno “da inveja” ia destruindo a primeira família da terra.
A oferta é boa se é de fé e esta Deus não rejeita, o homem é que se engana pensando que Deus não recebeu a oferta porque ele não é digno ou porque ela aos seus olhos é tão simples. Na verdade nenhuma oferta por ela mesma seria boa o suficiente, pois Deus não precisa de nada. É por isso que confiar em nossa própria capacidade será sempre decepcionante, mas, confiar no Deus que dará vitória àqueles que confiam no Senhor será sempre emocionante.


Caim desprezou a promessa de Deus e matou o seu irmão Abel. O sangue do inocente Abel ainda clama por justiça e a justiça divina será feita ao tempo determinado, quando ela requererá a responsabilidade do infrator. Mas, ainda é tempo de misericórdia, pois hoje é tempo de amar aos caídos como Caim, por isso Deus pôs nele um sinal para que ninguém o matasse em vingança, pois queria livrá-lo da morte, que sinal seria esse senão o sinal do amor? Sinal do Amor de um Deus que aborrece o pedado, mas, ainda continua amando o pecador e deseja lhe perdoar os pecados. Não faça como Caim que fugiu da face do Senhor, ele fugiu do único que poderia ajudá-lo. Deus procurava por Caim e Caim fugia de Deus, nunca confessou os seus pecados e desprezou o perdão do Senhor perdeu a oportunidade que lhe foi dada (Mateus 23.35; Lucas 11.51; Gênesis 4.15,16), mas, “Se fizeres bem, ainda haverá aceitação para ti” (Gênesis 4.7a) se você assim fizer e com fé se aproximar do altar do Senhor, Ele te aceitará, e então, Ele escreverá um final feliz para a tua história.

terça-feira, 14 de julho de 2009

CONVITE PARA JANTAR

Disse-lhes Jesus: Vinde, jantai. 
João 21.12a.


Um convite para jantar é a melhor oportunidade de aproximação entre as pessoas, quando comemos juntos nos tornamos íntimos de alguém, e quem convida faz menção de interesse na amizade do convidado. Façamos uma análise social do papel da comida nos relacionamentos, e veremos que: quem convida deseja alimentar, e quem aceita o convite deseja saciar a fome. Saciada a necessidade das pessoas ter-se-á, a partir daí, mais do que convidados, teremos amigos. Quando Jesus convida alguém para comer e beber revela a vontade de Deus: fazer amizade com o homem, e lhe conceder a oportunidade de ter intimidade com Ele.

A fome é uma das carências mais dolorosas da humanidade, e a falta de alimentos para quem tem fome chega a ser alucinante, o faminto tem a princípio uma tremenda inquietação física, que se for prolongada resultará num amortecimento, pouco a pouco da sua atividade, seguida da falência múltipla dos órgãos vitais.

Alimentar o seu povo e saciá-lo sempre foi propósito de Deus, pois em toda a sua palavra nós o encontramos cuidando da alimentação que será servida no jantar, na criação Ele produz os alimentos, no deserto envia o maná e as codornizes, na parábola da grande festa o convite é para todos, Jesus disse a seu respeito: eu sou o pão vivo que desceu do céu, e quem comer de mim jamais terá fome. Podemos Perceber claramente nessas passagens o caráter do Senhor como aquele que deseja prover todas as nossas necessidades, tanto físicas como espirituais.

O convite feito acima ocorreu às margens do mar de Tiberíades (mar da Galiléia), após uma noite cansativa em que os discípulos não pescaram nada, ao chegarem à praia encontram Jesus servindo o jantar, peixe assado na brasa e pão, e Jesus como um bom anfitrião serviu aos seus convidados exaustos e famintos, porque ele é o Senhor que provê, confie no Senhor, pois ele já tem tudo preparado. Imagine agora o local daquele jantar, na praia, onde é que ficam os melhores restaurantes? E as melhores mesas? Ah, na praia, e de frente para o mar. Um local escolhido com muito bom gosto.

Os melhores momentos da vida de Jesus, aqui na terra, foram compartilhados com as pessoas a mesa, ele participou tanto da mesa de pessoas importantes, como da mesa das pessoas discriminadas pela sociedade, os pecadores, como alguém que diz: eu vou à sua festa, e lá farei o convite para vires na minha também: “E no último dia, o grande dia da festa, Jesus pôs-se em pé, e clamou, dizendo: Se alguém tem sede, venha a mim, e beba”. João 7.37.

Quando ele partiu o pão e tomou o cálice comemorou a sua última páscoa, instituindo ali a primeira santa ceia, naquela ocasião participaram somente os seus amigos íntimos, os discípulos, porque eles responderam ao convite que fora feito a todos. Alguém ficou de fora do jantar? Não foi por falta de convite.

A igreja precisa viver intensamente Atos 2.42; 46, para estar de acordo com a vontade de Deus, pois precisamos partir o nosso pão no templo e em nossas casas com singeleza de coração, compartilhando as necessidades dos nossos irmãos em Cristo.

Querido leitor a tua alma tem fome e sede também, esta fome e sede espiritual leva muitos a alimentar-se de várias comidas de bela aparência, mas de qualidade duvidosa, outros ficam com a alma raquítica de tanto padecer pela fome, a tua fome inexplicavelmente insaciável é fome de Deus, nada poderá te saciar, somente Ele pode, Jesus é a comida que faltava no seu cardápio, Ele é um prato completo substituindo os outros, o aceite ainda hoje, então ele saciará a tua fome que não é outra, senão a fome de Salvação. Aceitarás o convite?
“Se quiserdes, e ouvirdes, comereis o bem desta terra”. Isaías 1.19.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

MUNDO TRANSITORIO


O ciclo da vida (nascer, crescer, reproduzir e morrer) faz parte da realidade humana, todos têm um início e um fim, é o que chamamos de “a vida real”, você já parou para pensar como essa realidade pode ser comparada com um sonho?
Pense nisso por um momento, e me acompanhe no seguinte raciocínio: quando durante o sono somos envolvidos por um sonho, quer seja bom, ou quer seja mal, não acreditamos naquele determinado momento que tudo é real? É por isso que sofremos durante um pesadelo, e suspiramos de alívio quando acordamos. Também é por isso que nos alegramos durante um sonho bom, e lamentamos logo depois que acaba.

O mundo e o universo que conhecemos irão chegar ao seu fim também, digo fim no sentido particular da palavra "a morte", e também fim no sentido amplo da palavra "o fim do mundo", pois as profecias da Bíblia falam que um dia tudo que foi feito será desfeito com fogo, e que todos os elementos da natureza ardendo se desfarão. Se muitos não crêem no fim mundo, pelo menos posso afirmar que na morte física todos crêem, pois ela é real e acompanha a humanidade deste o princípio. Considerando que há um ponto final na história de todo o ser humano, então poderemos afirmar que a realidade tal qual a conhecemos também é transitória como num sonho.

Mas o que eu quero dizer com isso? O óbvio, quando terminar a vida material, todos iremos despertar como de um sonho, um despertar que levará a muitos a descobrir que de fato agora é que começa a realidade. Realidade essa, que mostrará uma dura verdade para uns, e felicidade para outros, pois o chão onde você esta pisando agora, não é o único plano real como se pensa, ele é apenas um plano transitório, um dia os seus pés não estarão mais sobre ele. Então a realidade de fato para todos será "o outro mundo", e mais que isso, ela será uma realidade eterna.

Muitos que desprezaram a salvação nesse momento que se chama hoje se lamentarão, pois na opinião deles ela era só uma fantasia, procurarão pelos seus gurus, pelos seus guias e líderes religiosos, apelarão aos seus "santos", discípulos procurarão pelos seus "mestres" os pensadores e os filósofos, cujas mentes eram tão brilhantes, mas que agora parecem ser limitadas por terem se desprovido da , se sentirão lesados, seus mestres tão vítimas quanto eles, ficarão espantados ao perceber como foram soberbos ao tentar construir as suas próprias verdades, simplesmente porque parecia impossível para si crer em algo que não podiam ver. Os homens crêem em tantas coisas que não podem ver, por exemplo, a eletricidade, o átomo, os sentimentos, a razão, etc. Por que alguns não crêem na Bíblia e nas suas advertências? Eis uma questão a se estudar.

Mas para aqueles que crêem, escreveu o Apóstolo Paulo: Agora vejo a "realidade" em parte, como alguém que olha pelo retrovisor do seu carro, e vê uma pequena fração da realidade, limitada pela área do espelho e pelo ângulo da sua posição. Mas quando vier o incorruptível (isto é, Jesus Cristo), o que é corruptível será aniquilado, então conhecerei assim como sou conhecido. Disse Jesus: O que eu faço, tu não o sabes (não entendes) agora, mas o saberás depois. Disse ainda mais: O meu justo viverá da fé, e se ele recuar a minha alma não tem prazer nele.
Jesus nos ensinou por comparações chamadas de parábolas (ou poder-se-ia dizer: por espelhos da realidade), tais comparações foram questionadas, por que tu falas por parábolas? Ele respondeu: eu vos falo de coisas terrenas para explicar as celestiais, e não me tens crido, como crereis se vos falar abertamente das celestiais? Sabe por que Jesus falou assim? Porque só podemos entrar no seu reino pela na sua palavra, não entraremos lá pelas crenças em palavras de homens, mesmo que estes homens sejam grandes pensadores, ou grandes religiosos da história humana.

A mente de pensadores e filósofos só acredita naquilo que ela consiga abstrair, naquilo que possa ser concebido no campo das idéias, ou naquilo que possa ser reproduzido através de um experimento em laboratório, ou naquilo que possa ser provado por cálculos matemáticos.

Já a mente dos representantes das religiões, mundo a fora, acredita que "todos" os caminhos levem a Deus, ou que somente o "seu" caminho (o da tal religião) é que leva a Deus, esquecesse de que só há um caminho, Jesus Cristo, cuja estrada só pode ser trilhada pela Nele.

Alguém pode até dizer que tenho essa opinião porque nasci em um país Cristão, mas se tivesse nascido no oriente pensaria diferente, humildemente reconheço que você possa ter razão, mas somente até o momento em que eu me defrontasse com o Evangelho Vivo, pois já é um fato concreto lá no oriente, que em países como a Coréia do sul, em torno de 50% de sua população já tenha se convertido ao Cristianismo, uma cultura tão “antiga" (milenar) se rendendo a uma nova , não seria assim se a palavra de Deus não fosse a verdade, mesmo entre os países muçulmanos os cristãos estão presentes, são igrejas perseguidas, seus membros são presos e mortos, isto já seria suficiente para desestimular qualquer um de confessar sua fé cristã, mas eles não conseguem parar o cristianismo, nem mesmo em face da morte, disse Jesus a respeito da sua igreja: As portas do inferno não prevalecerão contra ela. São pessoas que não se envergonham do evangelho, pois sabem que ele é poder de Deus e salvação para todo que crer.Nós cremos naquilo que não vemos, esperamos a verdadeira realidade, para o mundo somos loucos, mas melhor é a loucura de Deus do que a sabedoria dos homens medite nisso.
Nós cremos naquilo que não vemos, porque se esperarmos apenas o que vemos, onde estará a nossa esperança? Ora, a é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não vêem. Esperamos novos céus e nova terra onde reina a justiça.

Como eu sei disso? Pela , e fé na palavra de Deus, é tão simples que as mentes mais "brilhantes" não querem aceitar, é tão simples que ter uma mente "tão brilhante" se torna desnecessário, dai eles não aceitarem por causa da vaidade do conhecimento, porque se aceita apenas aquilo que se pode concluir, ou que se pode abstrair, e assim receber todos os créditos pela descoberta. É tão simples que eles se embaraçam em sua vã filosofia, pois qualquer homem por mais desprovido do conhecimento pode entender, mesmo que não tenha um diploma em suas mãos. Disse Jesus: Graças te dou, ó Pai, porque escondestes estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelastes aos pequeninos.
Se cremos, então veremos a glória de Deus, não foi um filosofo ou um religioso que disse essas palavras, quem prometeu foi o próprio Jesus Cristo, e disse mais ainda: Todo aquele que vive, e crer em mim nunca morrerá. Mas se acreditarmos apenas naquilo que pode ser investigado, então a nossa também é transitória e não é perfeita em Deus.

Houve um discípulo que questionava tanto a ressurreição que se tornou incrédulo, seu nome era Tomé, este dizia: "se eu não o vir e não por o dedo na ferida não crerei", mas pela misericórdia de Deus, Jesus lhe apareceu e lhe disse: "Tomé põe o teu dedo aqui... Tomé porque me viste creste? Mais feliz é aquele que não me viu e creu. Sede crente e não incrédulo". Um mandamento de Jesus para os homens: “ser Crentes”.
Uma boa maneira para você conseguir a ajuda de Deus é: começar se tornando como as "criancinhas", e reconhecer as suas próprias limitações, e confessar-lhe as suas incredulidades, pedindo ao Senhor que o ajude, o perdoe, e acrescente a ti a fé salvadora, para que teus olhos e ouvidos sejam abertos (Lucas 10.21).

Na paz do Senhor.

segunda-feira, 29 de junho de 2009

SENTIDO PROIBIDO

Pista errada? Deus permite uma conversão.

Você já passou pela desagradável experiência de circular pela contramão? Estar dirigindo por uma via não sinalizada, ou não ter reparado na sinalização, e de repente: "o susto", seguido daquela sensação de arrependimento: "agora é tarde"...
Pois é, tal atitude é uma infração gravíssima penalizada com multa de R$ 191,54 e 7 pontos na carteira de motorista conforme o código nacional de trânsito, e isso não é nada se compararmos ao valor das vidas que foram arriscadas. Todo o condutor de veículos conhece o significado do símbolo acima, "sentido proibido", é uma placa de regulamentação, e informa a proibição de seguir em frente, ou de entrar na pista ou área restringida pelo sinal. Quando percebemos a sinalização imediatamente mudamos de atitude, porque acreditamos na sua orientação, isso é "conversão", ela é muito mais que o ato de mudar de direção, ela é uma atitude consciente, de quem conhece os perigos de desobedecê-la.

A Bíblia é o código de Deus para a condução das nossas vidas, com a diferença de que, no código de trânsito o motorista perderá a carteira por circular em sentido proibido, e no código divino será possível encontrar alguém
conduzindo a sua vida há muito tempo pela contramão, esse tempo dará ao condutor a falsa sensação de que nada lhe atinge, no transito ninguém conseguiria ir tão longe, nem conseguiria voltar sem causar problemas, isso seria quase impossível, mas na condução da própria vida poderia dar a volta antes de se machucar.



Não acreditar nas leis de trânsito, ou não conhecê-las não impedirá que o motorista imprudente se envolva numa "colisão", tão pouco alguém que não dá crédito a palavra de Deus, e que nem a obedece estará livre de se envolver na "colisão da própria alma" com a morte eterna.




Jesus Cristo veio ao mundo para nos instruir a respeito "do único caminho seguro", na única autoestrada que leva o homem a Deus. Queres ser conduzido pela estrada que conduz a vida eterna? Então aceite a Cristo e deixe que Ele o conduza pela sua palavra.

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14.6.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

FOFOQUEIRO

Estas seis coisas aborrecem ao Senhor, e a sétima a sua alma abomina (Provérbios 6.16).

A alma expressa os sentimentos e emoções, já o espírito expressa o intelecto e a razão. Os gostos pessoais, as preferências, e as sensações são sentimentos que captamos pela alma, é ela que determina se gostamos, ou não, de alguma coisa. Há coisas que nos aborrecem, e outras que não suportamos, por exemplo: um filho desobediente incomoda, mas o suportamos por causa do amor. Já a roupa suja de suor e poeira, após um dia de trabalho, é algo que queremos nos livrar imediatamente, e nada como um bom banho e uma boa roupa limpa para nos dar aquela sensação agradável de bem estar, ter aversão a uma roupa suja, ou antipatizar algo que nos incomoda é o mesmo que abominar, sendo esta a diferença entre o que nos aborrece e o que abominamos.

O Aborrecimento é um sentimento que surge por algo que nos incomoda, mas que ainda é suportável. Já a abominação é um sentimento que surge diante de algo que já não podemos suportar, porque se torna detestável. O aborrecível nos causa enfado, mas o abominável nos causa horror, ódio, aversão.

Há algumas classes de pecados tão detestáveis, que a palavra de Deus classifica-os como abomináveis, isto não significa que os demais se tornem aceitáveis ou atenuados diante daqueles. Um tipo de pecado que a Bíblia classifica como abominável é: “o que semeia contenda entre irmãos”, o fofoqueiro é aquele que semeia com a língua tais contenda, adora um mexerico, a sua língua destila um veneno capaz de matar uma grande amizade.

Seis pecados que incomodam ao Senhor, mas o sétimo a sua alma detesta (Provérbio 6.16-19):
1 – Olhos altivos (o orgulhoso);
2 – Língua mentirosa (aquele que mente em favor próprio);
3 – Mãos que derramam sangue inocente (o homicida);
4 – Coração que maquina pensamentos viciosos (aquele que alimenta qualquer tipo de pensamento mal, não se trata de pensamentos fora do nosso controle, que porventura pousem em nossas cabeças, mas daqueles que são “maquinados”, ou seja, aceitos e alimentados como um vício trabalhado com prazer);
5 – Pés que se apressam a correr para o mal (entrar em contendas);
6 – Testemunha falsa que profere mentiras (aquele que mente em favor de outro);
7 – O que semeia contendas entre irmãos (em primeira instancia “o fofoqueiro”, em segunda instancia “quando desabafamos sobre alguma mágoa pessoal”).

O fofoqueiro leva e traz conversa, adora criar intrigas, e quando destrói alguma amizade, lava as mãos e diz que não teve nada haver com isso, é um sujeito mau caráter, daqueles que têm coceira na língua, é incapaz de defender seus amigos, mas aluga o seu ouvido dando lenha ao fogo dos comentários, para depois sair correndo e “semear” o mal no coração do comentado. Nas condições apresentadas acima percebemos que o fofoqueiro (semeador de contendas) é até mais detestável do que o homicida e as outras cinco classes de pecados, que incomodam a Deus.
Se por acaso for esse o seu caso, aconselho sair deste caminho. O espírito de fofoca é um demônio tão destruidor quanto o espírito de morte. Todo fofoqueiro é um oprimido que precisa de libertação, ele é um covarde que teme admoestar com mansidão em favor do homem, ao invés prefere atacá-lo fazendo comentários a terceiros sobre seus erros.

Há um caso mais sutil de “semear contendas” sem caráter de fofoca, isso pode acontecer quando desabafamos com pessoas que nos amam muito, sobre alguém que nos magoou, em geral as pessoas que nos amam vão ficar também magoadas com quem nos magoou. É preciso ter muita prudência nesse tipo de comentário, pois vindo a resolver a nossa questão, ainda ficará pendente no coração de muitas pessoas que nos amam, ou seja, mesmo que eu perdoe quem me magoou, pode ser que meus amigos, que me amam, e que não tinham nada a haver com o meu problema não perdoem quem me magoou, isso porque querem bem demais a mim para suportar o que me fizeram. Portanto muita prudência nos nossos comentários, nem todas as pessoas tem maturidade suficiente para lidar com determinados assuntos. Desabafar com Deus em oração é a melhor maneira de aliviar um coração magoado, se precisar falar com mais alguém peça a Deus que lhe mostre uma pessoa idônea.
Se você ainda for um “semeador de contendas” ore a Deus pedindo o seu perdão, que ele te perdoará, e da próxima vez que a língua coçar, se lembre que você não quererá se tornar uma pessoa detestável.

Assim também a língua é um pequeno membro, e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia. (Tiago 3.5).
Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem, para que sejais filhos do vosso Pai que esta nos céus. (Mateus 5.44).

segunda-feira, 15 de junho de 2009

UM HOMEM BOM

“UM HOMEM BOM” é o título de um filme que se passa na Alemanha onde John Halder (Viggo Mortensen) é um tranqüilo professor universitário, que vive em paz com sua família e tem em Maurice (Jason Isaacs) um grande amigo. Um dia Halder passa a prestar mais atenção em uma de suas alunas (Jodie Whittaker) e vê a sua vida mudar quando passa a se interessar por ela, com a carreira em ascensão, lida com pessoas do governo nazista, sem se dar conta do perigo que ele e seu país estão correndo. O título do filme é bastante sugestivo, pois nos revela o sentimento de pessoas honestas, que podem ser envolvidas silenciosamente desde uma simples corrupção conjugal, até uma corrupção de poder, na maioria das vezes o “homem bom” não sabe como se envolveu, ou seja, crê que não teve culpa, e quando descobre que esta envolvido não sabe como sair, ou não quer ou não pode mais. O título desse filme é também o tema que tratamos nesta postagem: A Salvação de um homem bom, ou seja, a salvação do gênero humano, homem e mulher.

A idéia de salvação para muitas pessoas parece completamente absurda, afinal de contas, pensamos: “seremos salvos de que?” Em fim, a maioria das pessoas se considera como de “bom caráter”, uma pesquisa sobre a personalidade do cidadão e a sua auto-avaliação diria que a maioria das pessoas se considera honesta, pois como dizem: “não andamos por ai enganando os outros”, nos julgamos pelos nossos atos de caridade, ou por prestar algum trabalho voluntário, pois em geral nós todos somos bons pais, bons filhos, trabalhadores honestos, cumpridores dos deveres e acima de tudo pagamos os nossos impostos. Então deveríamos ser salvos de que? “Deveríamos ser salvos dos políticos desonestos, ou de qualquer pessoa desonesta” responderiam alguns num tom brincalhão.

Dizem: Essa história de salvação se encaixa bem para pessoas que vivem no limite da vida, à margem da sociedade, em algum grupo de risco como, por exemplo, os usuários de drogas, traficantes, prostitutas, homossexuais, criminosos, pobres, depressivos, doentes, etc. Em fim, ela serve para aqueles que de alguma maneira chegaram à igreja depois de “fazer tudo que não presta”, e agora, depois de fazer tudo se dizem “salvas”? Mas elas estariam salvas de que? Provavelmente na segurança de suas igrejas estarão salvas de sofrerem, por exemplo, morte violenta.

Se nos baseássemos somente nos fatos citados acima, já poderíamos afirmar que as igrejas prestam um grande trabalho de recuperação e reintegração de indivíduos a sociedade, isso é fato e verdade. O que não é verdade é que pessoas de boa reputação não precisem da mesma salvação.

Por que uma pessoa boa precisaria de salvação?

Todos precisariam ser salvos de si mesmos em alguma circunstância da vida, essa circunstância pode ser desde um extremo “da falta de domínio próprio”, até o outro extremo “do orgulho das virtudes próprias”. Analisar o sentimento de orgulho das nossas virtudes é o nosso objetivo, é lógico que alguns já sairão imediatamente dizendo: “não temos esse sentimento, pois não somos perfeitos”. Essa é uma resposta evasiva, porque se fizermos qualquer comparação da necessidade de salvação dessas pessoas com a daquelas, elas mesmas replicaram: “estão querendo me comparar com algum criminoso? Sou um cidadão honesto, e pago meus impostos”. Infelizmente a resposta é dada conforme a conveniência do momento.

A Bíblia afirma que: “TODOS pecaram e destituídos estão da glória de Deus” (Rm 3.23), não há sequer uma pessoa no mundo que não tenha do que se arrepender, ou algo a esconder, em geral todos têm grandes ou pequenas faltas.


O sentimento por detrás da prática da justiça própria, apresentada nas boas obras pode ter caráter de gratidão ou de reparação, somente Deus sabe, qual é o caráter escondido no coração da alma caridosa, ela estaria grata pela salvação? Ou estaria tentando comprá-la?

O sentimento de gratidão vem do reconhecimento de que fomos libertos das nossas culpas, já o sentimento de reparação vem da necessidade se autojustificar, e procurar fazer algo em compensação a nosso favor, algo que reparasse as nossas faltas. A diferença entre a gratidão e reparação é: na primeira nos sentimos leves por crer que fomos liberados da culpa; na segunda nos persegue um fantasma acusador, ao qual tentamos afastar apresentando todas as nossas bondades.

Este acusador só pode ser afastado pelo poder do “Sangue de Jesus” para perdoar pecados, há uma esperança para toda alma caridosa, há esperança para as pessoas honestas e boas, esta esperança consiste em reconhecer que elas também precisam da ajuda do Senhor Jesus, foi isso que Ele quis explicar aos fariseus de sua época, quando curou um cego de nascença (Jo 9. 1-41), os fariseus disseram a Jesus: “também nós somos cegos”, e Jesus lhes respondeu: “se fôsseis cegos, não teríeis pecado, mas como agora dizeis: vemos, por isso o vosso pecado permanece”, Jesus estava falando da cegueira espiritual que impede que os “homens bons” também se arrependam, creiam e vivam pela fé. A Bíblia diz que o justo viverá da fé (Hc 2.4; Rm 1.17; Gl 3.11; Hb 10.38), não poderá viver pela sua própria justiça, mas viverá da fé naquele que o justifica, é evidente que para ser justo é necessário praticar a justiça, mas somente viveremos se a nossa justiça for praticada por gratidão, e não por reparação, ao invés de aplicarmos a nossa fé em nós mesmos devemos aplicá-la numa justiça maior do que a nossa, uma justiça que foi praticada em nosso favor por alguém totalmente inculpável, Jesus Cristo, o filho do Deus vivo!

Há esperança para a humanidade, há esperança para você, aplique a sua confiança no Senhor, entregue a sua vida a Ele, e se puder pratique a justiça como expressão de louvor e gratidão, Zaqueu recebeu Jesus em casa, creu e saiu para reparar os seus erros e foi salvo, já o ladrão na cruz, creu e foi salvo, mas não teve tempo de reparar seus erros. Esses homens foram salvos pela justiça que vem da fé em Jesus Cristo.

Pois, que diz a Escritura? Creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça. Rm. 4.3.
E ouvi uma grande voz no céu, que dizia: Agora é chegada a salvação, e a força, e o reino do nosso Deus, e o poder do seu Cristo; porque já o acusador de nossos irmãos é derrubado, o qual diante do nosso Deus os acusava de dia e de noite.
E eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra do seu testemunho; e não amaram as suas vidas até a morte. Ap 12. 10,11.

segunda-feira, 8 de junho de 2009

RELIGIÃO X EVANGELHO

Após ouvir um sermão missionário, um homem disse ao Pastor: “Não consigo entender. A gente ouve dizer que o Brasil acolhe muitas religiões, que é um país extremamente religioso. Por que então, introduzir mais outra religião, aumentando ainda mais a confusão? Será que já não temos religião que chega?”

O Pastor respondeu: “Amigo, eu não ligo para religião, mas me interesso profundamente pela divulgação do evangelho. Há uma enorme diferença entre as duas coisas: a religião é obra de homem, o evangelho nos foi dado por Deus; a religião é o homem em busca de Deus, o evangelho é Deus buscando o homem; a religião é o homem tentando subir a escada da sua própria justiça, na esperança de encontrar-se com Deus no último degrau, o evangelho é Deus descendo a escada da encarnação de Jesus Cristo e encontrando-se conosco, na nossa condição de pecadores; a religião tem bons pontos de vista, o evangelho, boas novas; a religião traz bons conselhos, o evangelho, uma gloriosa proclamação; a religião termina com uma reforma exterior, o evangelho com uma interior; a religião passa uma pintura de cal branco no túmulo de novas vidas, o evangelho purifica o interior; a religião muitas vezes se torna uma farsa, o evangelho é sempre uma força, o poder de Deus para a sua salvação de todo aquele que nEle crê. (Romanos 1.16).
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...